segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Perseguidor Implacavel


"Perseguidor Implacável" é o nome de um filme do Clint Eastwood. Clint Eastwood é um dos melhores atores e diretores de Hollywood, mas, na minha opinião esse está longe de ser um dos seus melhores filmes. É um filme dos muitos da série "Dirty Harry" - o policial "durão", espécie de xerife moderno, típico da cultura americana, ambíguo, meio mocinho e bandido, sem muita ética, mas, com muita pontaria e disposto a resolver tudo por meio dela. Resumindo, um Charles Bronson melhorado - na minha opinião. Mais sarcástico, inteligente e cínico, porém, não menos violento.
O crack tem sido o meu "perseguidor implacável." Pensei nisso após acordar de um sonho com ele - o crack. Sinto medo e raiva do que vou escrever agora: digo sonho porque nele não me sentia mal, portanto, não era um pesadelo. Penso que essa é tragédia do crack: ele te domina todo - inclusive o seu (?) inconsciente - e você ainda gosta dele. Estava tudo lá no meu sonho: os traficantes, o dinheiro, as vítimas - eu e a pessoa que eu enganava -, as mentiras, a ansiedade, as pedras, a seda e o "mocó" que eu procurava para fumar. Acho que porque já se vão alguns meses sem usar que eu nem cheguei a fumar - algo me acordou antes, talvez a minha consciência? Eu falo isso do crack - tragédia - e não do vício, porque já fui usuário crônico de cocaína e álcool e não passei por isso com eles - sonhar durante dias ininterruptos.
O crack é o meu "Dirty Harry", o meu "perseguidor implacável", o meu "desejo de matar." Para quem ainda não os conhece - os filmes, não o crack! - fica a dica, embora admita que sirvam apenas como entretenimento de gosto duvidoso, posto que ambos os atores - Eastwood e Bronson - tenham filmes muito melhores. Boa diversão e bons sonhos... .



Nenhum comentário:

Postar um comentário